Você sabia que cães podem ser transportados na cabine do avião ? A empresa pioneira nesse quesito é a empresa aérea Gol. Até a mudança, que levou demasiado tempo para ocorrer, apenas cachorros de serviço podiam viajar com seus tutores. Os animais domésticos viajavam sempre nos porões das aeronaves.

Visto que os cães podem ser transportados na cabine do avião, não basta simplesmente botá-los lá dentro. É importante seguir certas regras para que predomine o bom discernimento e a proteção. Para isso, elaboramos um texto rico em detalhes para que você não tenha nenhum tipo de problema. cabine-aviao

Os animais terão que estar limpos e sadios. Além do mais, os proprietários devem apresentar a carteira de vacinação em dia e um atestado de sanidade concedido pelo veterinário. Esse documento também pode ser emitido pela Secretaria de Agricultura Estadual ou Posto do Departamento de Defesa Animal. O documento necessita possuir validade de, até, dez dias e ser emitido com 72h de antecedência.

Quais cães podem ser transportados na cabine do avião?

caes Apenas cachorros com no mínimo quatro meses e que, ao mesmo tempo com a caixa de transporte, somarem 10 kg, serão elegíveis à cabine. Cada pessoa somente poderá levar 1 animal. Tal como só será admitido um animal de estimação por fila. No voo inteiro serão permitidos um número máximo de 4 animais de estimação.

Os animais deverão viajar debaixo do assento frontal, de preferência pertos da janela. Isto serve para ficarem distantes de outros animais domésticos. Tanto o dono quanto o animal doméstico não vão poder sentar em saídas de emergência ou na primeira fila, por questão de segurança.

Caixa de transporte – Conheça o modelo

A caixa transportadora terá que ter medidas máximas de 22 centímetros de altura, 43 cm de profundidade e 32 cm de largura. Ainda por cima, é preciso ter os dados de contato do tutor e número da reserva.

Regras para o transporte do cão

O valor cobrado para levar o espécime na cabine é de R$ 150 por trecho. A TAM cobra R$ 200, Avianca 100 reais e Azul cento e quarenta reais.

Também é necessário estar com as vacinas em dia e com atestado de sanidade oferecido por médico veterinário com validade de dez dias. A vacina contra a raiva precisa ter sido aplicada, no mínimo, 30 dias anteriores ao embarque. Por questões de proteção, os passageiros com pets não devem ser arranjados em saídas de emergência ou na primeira fila da aeronave.

O check-in tem necessidade de ser realizado com 2h de antecipação ao embarque e é necessário preencher um formulário no balcão de atendimento. Conforme a companhia, a mudança no tipo de transporte foi determinada por causa da posição que os animais domésticos estão, atualmente, nas famílias, que querem certificar-se da segurança e estar perto dos cãezinhos.

Precauções a ser tomadas antes de viajar com os cães

Antes de viajar

  • Não ofereça comida para o animal quatro horas antes do embarque;
  • Visite o médico-veterinário e verifique constantemente a condição de saúde do seu animal de estimação;
  • O emprego de sedativos ou medicamentos contra enjoo precisa ser feito sempre sob orientação de um veterinário e testado antes da viagem para checar a reação do espécime, já que pode causar um efeito contrário ao tencionado;
  • Pode-se instalar GPS na coleira do cachorro para acompanhar sua trajetória no caso de viagens no porão de aeronaves;
  • Selecione uma caixa de transporte adequada e de boa qualidade a fim de assegurar que ela não se abra durante o voo;
  • Familiarize o animal doméstico com a caixa de transporte, possibilitando, ainda no lar, que ele durma dentro dela em vez do local de descanso diário;
  • Tente ficar o mais sossegado possível antes do embarque para não transmitir mais nervosismo ao cachorro.

Durante a viagem

  • O animal doméstico deve viajar na caixa transportadora e esta precisa ser adequadamente presa no interior do carro, evitando solavancos;
  • No caso de cachorros em carros, se escolher não usar o kennel, utilize um peitoral e um cinto de segurança próprio, cuidando para o cão permanecer preso sempre por dois pontos de apoio no assento de trás;
  • Nunca deixe o espécime sozinho e preso no interior do carro, já que elevadas temperaturas podem matá-lo por volta de 10 minutos;
  • Se você tiver um cão de focinho pequeno, é melhor preservar o ambiente mais frio, por cerca de 24ºC;
  • No caso de ônibus, fique atento, dado que o compartimento de malas pode não ser climatizado propriamente;
  • Preste atenção no cachorro e na sua inquietude;
  • No voo, quando fizer o check-in, tente permanecer com o espécime até o tempo limite do seu transporte para o avião;
  • Evite viajar de avião em dias e horários de demasiado calor a fim de que na chegada o espécime não fique exposto a elevadas temperaturas ou no sol por bastante tempo.

Após a viagem

  • Ao desembarcar, alerte a tripulação que você está aguardando um animal e peça para ter preferência;
  • Quando receber o espécime, não aja com muita excitação a fim de que ele não se desespere.

Documentação precisa para fazer o transporte de seu animal

  • Registro de vacinação contra a raiva com nome do laboratório e número da partida utilizada (a vacina precisa ter sido aplicada, ao menos, trinta dias antes do embarque);
  • Reserva antecipada com a empresa para a viagem do cão por causa do limite de animais domésticos por avião;
  • Certificado de vacinação do cachorro;
  • Atestado sanitário de ótimas condições de saúde expedido por um médico-veterinário.

Agora que você sabe que cães podem ser transportados na cabine do avião , adote todas as instruções adequadamente e fique tranquilo quando se encontrar viajando. Dessa forma, você e seu cão terão uma viagem tranquila.