Um filhote cego e surdo é quase impossível de tomar conta, correto? Errado! Um filhote nos EUA, que foi enjeitado duas vezes, enfim encontrou uma família que o acolhesse. Agora, ele prova que é possível, independente de todas as deficiências, ser um filhote como qualquer outro. Apresentamos a você Bruno, um filhote cego que superou todos os problemas.

caes-cegos Ao contrário do que muitas pessoas poderiam supor, não enxergar e não escutar não é problema para o filhotinho Bruno. Com só três meses de vida, Bruno já havia sido devolvido 2 vezes para um canil nos EUA. Em ambas as vezes, a complexidade no adestramento e o desafio de se trabalhar com um cachorro que não vê e não ouve podem ser desanimadores para a grande parte das pessoas.

Entretanto Bruno nunca perdeu as esperanças! E, depois de 8 dias, a família perfeita chegou. Bruno foi adotado pela terceira vez e, agora, ganhava verdadeiramente uma casa. Bruno mostrou ser muito astuto, contente e atencioso.

“Bruno está bastante bem! Ele se encontra descobrindo o desenho da casa, já entende onde fica a comida e água, e encontra-se comendo e bebendo normalmente. A gente está aproveitando os bons momentos com ele. É bastante curioso, divertido e persistente.”

“Nós o adoramos! Ele já é a sensação entre nossos amigos no Facebook, parentes e o pessoal da clínica veterinária. É muito complexo lidar com um cachorro desta forma, entretanto está sendo bem prazeroso para nós!”

De que modo é o modo de viver de um filhote cego?

Você entende que seu filhote é cego? Ótimo! Mas ele não tem conhecimento. Se ele nasceu dessa maneira, ele acha que é um pet normal: faz tudo que outro seria capaz de fazer. Se ele ficou com o tempo, ele irá se adaptar. Quanto mais velho, mais dificuldade ele vai ter para se adequar e maior a tendência dele ficar desanimado (por não se sentir seguro ao caminhar). Cabe a você incentivá-lo!

Como lidar com um filhote cego?

caes-cegos Diminua a quantidade de obstáculos em sua habitação. Pois ele vai ter dificuldades para andar pela casa no começo, você precisa fazer o melhor para fornecer um local que seja o mais livre possível de percalços. Ao conservar o chão sem obstáculos, você vai ajudá-lo a andar ao longo da casa sem tropeçar em nada.

Deixe os móveis sempre no mesmo local, conserve a residência limpa e sem bagunça e, se tiver crianças no lar, ensine-as a catarem os objetos logo que terminarem de brincar.

Veja algumas orientações

Conserve um ambiente tranquilo

Já que seu filhotinho não tem mais este sentido para perceber se alguma coisa ou alguma pessoa é uma ameaça, ele pode assustar-se mais com barulhos altos do que antes de perder a visão. Ajude-o a se sentir tranquilo e seguro, tentando não fazer barulhos altos e pedindo para os outros para que façam igualmente.

Se fizer um barulho alto acidentalmente, ajude a confortá-lo, acariciando e falando brandamente com ele

Procure não fazer movimentos bruscos no lar, gritaria, dar pancadas em portas, tudo isto irá deixar o espécime nervoso.

Converse com seu pet

Dado que ele não consegue mais enxergá-lo quando entra num cômodo da residência, é capaz de ser uma ótima ideia cultivar o hábito de murmurar ou falar sem ninguém perto, a fim de que o espécime saiba onde você está. Ele também se sentirá mais seguro e descontraído se você cantarolar e falar baixo quando estiver próximo.

Isso evita que ele fique com medo se quiser carinhá-lo

Ao deixar claro sua presença, ele ficará menos inclinado a se assustar ao perceber o toque de suas mãos nas costas.

5 sugestões essenciais para quem vai acolher um cão que não enxerga e não escuta

  • Preservar a rotina do pet. Comedouro, bebedouro, caminha, bandeja sanitária ou jornal têm que ficar nos mesmos lugares;
  • Buscar não mudar de local a mobília. E evitar deixar obstáculos no “caminho”, como travesseiros, cadeiras, etc;
  • Detecte o que pode machucar o filhote em caso de colisão e, para protegê-lo, cubra os pontos perigosos com uma manta de espuma;
  • Pets com dificuldade visual preferem escalar a pular. Devido a isso, sempre que possível, providencie rampas – opte por fazê-las com materiais que não derrapam;
  • Sempre que você o pegar no colo, fique de olho: ele ficará desorientado ao ser posto no chão em lugar desconhecido. Mas não vai haver problema se for deixado na caminha dele ou na cadeira predileta, já que poderá identificar rapidamente o objeto e conhecer em que lugar está.