Veja o tratamento da fobia de ruído em cães

Veja o tratamento da fobia de ruído em cães

Não se entende por que alguns animais domésticos possuem medo de barulhos, como trovoadas e foguetes. O temor pode, em breve, vir a ser uma fobia, que é estabelecida como uma resposta de medo persistente, demasiada e absurda. Se tratando das tempestades, os animais de estimação também podem ter medo, de eventos vinculados ao fenômeno, como alteração na compressão barométrica, raios, distúrbios eletrostáticos e até cheiros associados às tempestades. As fobias do barulho podem abranger temor de trovoadas, fogos de artifício, tiroteios e inclusive o som dos passarinhos.

caes-medo-ruidos Um novo estudo descobriu que certas raças de cães possuem um risco além da média de ter fobias sonoras. Estes abrangem diversas das raças trabalhadoras e esportivas, como Collies, Pastores Alemães, Beagles e Basset Hounds. Essa pesquisa foi bastante pequena, ainda assim, e é crucial realizar mais levantamentos nessa questão. A pesquisa inclusive descobriu que os cães que tinham ansiedade de separação eram mais suscetíveis a desenvolver fobias de barulho e trovoada.

Como é desenvolvido a fobia de ruído?

Uma fobia de ruído pode ser imputada a uma experiência ruim particular com um estilo de barulho, entretanto, em certas ocasiões, nenhum evento desencadeador é capaz de ser determinado. Na quase totalidade dos fatos, o medo de ruídos e tempestades cresce, piorando com cada exposição. Logo, o animal doméstico pode ter pavor de barulhos ou eventos similares ligados ao barulho. Por exemplo, um animal doméstico com pavor de trovão inclusive pode vir a ter medo de chuvas, ou um cão com temor de tiroteio pode manifestar temor à simples vista de uma arma de caça.

A atitude do proprietário é capaz de induzir a intensidade do medo. Como por exemplo, se os próprios proprietários estão nervosos no decorrer das tempestades, as fobias sonoras em seus animais domésticos podem ocorrer com mais constância ou tornar-se mais significativas. Da mesma forma, se o dono tentar acalmar excessivamente o bicho, o animal interpreta a atitude como uma confirmação de que verdadeiramente há alguma coisa de que ter medo. O exagero de carinhar ou reconfortar é um reforço de um comportamento inconveniente.

Comportamento de um cão com fobia de ruído

Animais diferentes podem apresentar diferentes sinais de fobias sonoras que abrangem: se esconder, mijar, defecar, mastigar coisas, arfar, tentar fugir, babar, procurar o dono, tremer, não atender ordens, entre outros.
Procure um veterinário perito em distúrbios comportamentais animal e/ou um behaviorista animal se seu cão estiver mostrando sinais de fobia de ruído. Eles podem auxiliar a desenvolver um tática de tratamento.

Como é tratada a fobia do ruído?

caes-medo-ruidos Não existe garantia de que uma fobia de ruído consiga ser completamente solucionada, porém em vários episódios o medo é capaz de ser administrado de forma eficaz. O êxito do tratamento depende de uma sucessão de fatores, incluindo a gravidade da fobia, faz quanto tempo o animal doméstico desenvolveu o problema, seja permanente, sazonal ou imprevisível e a porção de tempo que o dono está determinado a comprometer com as técnicas de modificação do comportamento.

A primeira coisa a recordar é que você carece de abster-se de dar atenção ou punição abusiva por um comportamento péssimo. O afagar frequente e o acalento podem ser interpretados pelo animal doméstico como uma gratificação pela receosa resposta. Da mesma maneira, o animal de estimação não deve ser castigado por mostrar temor. Isso só aumentará seu nível de impaciência. Ao invés disso, confie no projeto e dê atenção ao seu cão sob a forma de se divertir, escovar ou outras atividades que seu animal doméstico goste.
No geral, o tratamento abrange 3 outras facetas: remédios, alteração do meio ambiente e alteração do temperamento.

Veja o tratamento da fobia de ruído em cães
Avalie esta postagem